terça-feira, 9 de outubro de 2007

DIA DE CÃO

Às vezes me pergunto o que é pior, muito trabalho por fazer ou pouco tempo para executar? Não que não goste de muito trabalho, o problema é o prazo. É certo que em publicidade sempre se trabalha com a faca no pescoço, ou melhor, no fio da navalha. Redator, design, editor e outros mais, vivem na corda bamba dos prazos, e ainda vem sempre um engraçadinho para dizer “ o cliente quer isso pra ontem”. Às favas com ele, não se trabalha com o ontem, somente com o hoje e o amanhã, não pode haver resultados em operação tapa buraco, no mínimo, o remendo sairá pior que o soneto e aí o prejuízo será bem maior. Acredito que se o dia tivesse mais de vinte e quatro horas, ainda assim faltaria tempo pra fazer tudo o que se quer ou pelo menos ao que se propõe, dormir por exemplo, publicitário não dorme, ele sonha com soluções e tem pesadelo com prazos exíguos.
Há dias em que sofremos bem mais do que um cão vadio, por pior que seja o dia do dito cão. Comer o pão que o diabo amassou, levar uma vida de cão, matando cachorro a grito, é algumas das situações nesta sofrida vida de (pobre) + citário. Mas tal como o cliente se dá por satisfeito por uma campanha que lhe traga resultados, o publicitário vive de um ego vitaminado por reconhecimento (eu prefiro a inversão, grana no bolso e ego vazio).
Mas no fim, depois de trabalhar mais que um jumento, tudo o que sobra é o salário no fim do mês e um tapinha nas costas, e tenha certeza de uma coisa, neste mundo cão, isso é bem melhor que uma pedrada.

Um comentário:

Jeane Melo disse...

Tu disse tudo em poucas linhas, viu?

Mas dias de cão em compania de pessoas como vc é seeeeempre um prazer, viu, RICOCITÁRIO??!!

Bjs.