segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

MINHAS POESIAS II

Metamorfose
Como muda a mulher camaleão,
são cores, momentos,
olhares e risos,
muda tudo em volta,
nesse turbilhão.
Muda a mim,
muda o mundo,
só não muda a ti,
mulher camaleão

Despedida
Você que disse:
Vá,
te imploro,
ou qualquer coisa do tipo.
Fui no meio da fumaça,
mas tal como sumo,
volto,
À você retorno,
na neblina da manhã.
E como o sol,
brilho,
e como gente,
vivo,
por você
rio,
e pelos desencontros,
choro.

Nenhum comentário: