sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

CRACK!

Em dias de chuva, aqueles em que a gente não quer sair debaixo das cobertas e que o bom mesmo é ficar ali esquentando a costela com a pessoa que a gente adora. Mas, e não mas que de repente - dá um estalo!
Você pula da cama e voa para o seu notebook, senão corre o risco de perder a idéia. Essa descarga de criatividade é o lampejo salvador que pode definir se tua semana vai ser de sol ou tempestuosa. Daí em diante, o que você mais deseja é ir para o trabalho para colocar a idéia em prática. Faça chuva ou faça sol, só haverá descanso novamente quando tudo estiver pronto.
Não sei se funciona com todo mundo, mas comigo sim, pelo sim e pelo não, é sempre bom você consumir informações até o talo, quando o cérebro não agüenta mais, ele trinca, estala e então: IUPI, IABA DA BADU!
Eis a sua idéia brilhante. Queria que fosse assim com as dívidas, quem sabe se eu não memorizar só a primeira parte do jargão ao inverso “Não devo”, talvez funcione? Ou quem sabe uma palavra mágica tipo, SHAZAM, ABRACADABRA ou qualquer coisa do tipo, faça desaparecer todos os meus pesadelos? Você pode não acreditar, mas eles são pesadelos medonhos, tipo: prazo estourado, cliente aborrecido, trabalho barato, briefing ruim, cuca vazia, estagiário grudento, horas de insônia, dinheiro contado, conta no vermelho e o pior deles - mudança de planos no meio de uma campanha com todo o material aprovado, arre! Esse é o pior pesadelo para um designer.

Existem outros eu sei, mas estes são os meus. Por isso, em dias de chuva, vou só ficar olhando a água escorrer pelo vidro da janela e deixar ela lavar e levar meus problemas.
Ah! Sobre os estalos, agora só se for os da cama, pois de agora em diante, vou só deitar e rolar e, como diz o Pelé: - entende?

Um comentário:

Lima Jr disse...

Homi, gostei demais desse texto. Estou até pensando em postar ele no meu blog na seção de artigos (com os devidos créditos, é claro). Principalmente a parte que fala sobre o pior pesadelo do designer. É isso aí, profícuo.