sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

A GENTE É O QUE É

Engraçado esse meio publicitário, todo mundo pensa que corre muito dinheiro e glamour.
Pode até ser, no resto do país, mas aqui !?!
Agora tem uma coisa em pArticular, a gente encontra muitos espécimes raros; cobras dissimuladas, amigos-da-onça, sanguessugas, porcas que fuçam, ratos de esgoto e verdadeiros carrapatos puxa-sacos. Toda essa enorme variedade decorre daqueles que se utilizam de meios ilícitos para ganhar dinheiro fácil (lembra daquele carequinha?). Não que não haja gente honesta e competente, mas existe uma grande leva de pseudo-publicitários esculhambando a classe. Uma ilusão radiante admito, os pobres estudantes e recém formados pensarem que tudo é só ouro e prata (quem dera pudesse ter o toque de Midas), mas o suor na testa por ter que cada dia fingir ser um super-homem e matar um leão por dia, acaba por dizimar o que resta de humano na gente. Você entra nesta guerra em meio a uma selva, e aí se desdobra como “Q”, e na hora “H”, merrecas!
Na verdade há mais aborrecimentos, decepções e uma grande probabilidade de você pegar uma doença, que nem hipertensão, gastrite, stress ou outra, do que ficar rico (e eu não digo nem rico, mas que dê para pagar as contas e viajar com a família pelo menos uma vez por ano). Se não tiver amor por este ramo, mude (isto é, se houver tempo). Devo entender que paciência é uma virtude, mas esperar cair do céu (atualmente, só chuva, e isso quando cai) não dá não.
Meus filhos estão certos, querem se formar médicos, com certeza para cuidar de gente como eu ou quem sabe como você (sempre haverá doentes em qualquer ramo de atividade, principalmente nesta).
Porém se você me perguntar por que continuo no ramo, respondo: uma vez nascido publicitário (falo de paixão, de vocação), sempre publicitário.
Vá lá se entender com clareza o que é isso, após vinte anos ainda não consegui, mas vou parar de pensar, se não, piro.

Um comentário:

Mariana Arraes disse...

Carvalho... você é genial.
Texto demais esse aqui!
=*