sábado, 29 de março de 2008

O PRÊMIO DE 1 MILHÃO VAI PARA...

Já tive meus dias de Big Brother (mas sou celebridade só de minha vida) e também enfrentei diversos paredões. Lembro que aos sete anos de idade, só porque errei uma resposta, a professora me mandou para o castigo - ficar em um canto da sala e, de cara pra parede (começou aí a sina). Ninguém foi solidário, acredito que com medo para não ter o mesmo destino, mas depois desta provação, todos queriam saber qual sensação da superação. A cada dificuldade vencida, eu voltava mais forte.
Todas as escolhas e passos foram decisivos para minha permanência no jogo.
As câmeras de vigilância eram os olhares daqueles que queriam ver meu desempenho e cobravam a cada dia minhas ações, não sei se torciam por mim, mas sempre quis crer que no fundo desejavam que eu me tornasse uma pessoa melhor.
Nunca fui de panelinhas ou alianças para derrubar os outros, mas muitas vezes, sempre teve alguém para puxar o meu tapete. Não, não me isolei do mundo trancado em uma luxuosa casa cheia de mulheres bonitas, ao contrário, o patinho feio teve que mostrar outras qualidades para poder se firmar no mundo adulto e competitivo.
Nada de festas glamorosas, mesas fartas e fantasias, na verdade, a realidade diante de mim era crua e nua (um mundo por demais cruel para um adolescente em tempos de um regime linha dura e mão-de-ferro). Não fui de muitas "ficações", na verdade a única “sister” que me interessou, é a companheira que sempre esteve comigo, até que venha o último paredão.
Ela me proporcionou prêmios mais significantes que um milhão, ganhei prêmios para uma vida inteira - meus filhos, cujo valores são inestimáveis.
No final, percebe-se que tudo é um jogo onde todos fingem serem outras pessoas, no entanto, as máscaras vão caindo e aí, você se revela como realmente é.
Não há Bials, brothers e nem Boninhos manipulando os fatos, o que há de verdade são apostas em uma vida melhor.
Na prova do anjo, o colar vai para ela, a quem sempre quis proteger, pois esse sentimento é recíproco.
Na minha final ganham todos, pois o meu voto é para que a Socorro, a Mariana, o João Pedro estejam sempre bem.
Minha vida não é para dar audiência pra ninguém, mas uma coisa é certa, estou muito feliz com o resultado do jogo.

Nenhum comentário: