quinta-feira, 24 de abril de 2008

PARABÉNS PARA MIM!

É bem verdade que apesar de dizermos que não, mas todos nós gostamos de sermos lembrados pelo dia de nosso aniversário. Pode quem quiser se desculpar por haver esquecido, mas o Orkut não mente e está sempre lembrando os próximos aniversariantes da semana. Não sei vocês, mas à medida que os anos passam você quer se sentir mais querido e, no dia de seu aniversário espera pelo menos um tapinha nas costas, um aperto de mão, um abraço ou mesmo apenas um sorriso de cumprimento dos colegas. Isto é o mínimo, contudo, comigo já aconteceu de ficar esquecido, ninguém lembrou, fiquei olhando, fui às salas, conversei, parei mais tempo no cafezinho e olhei para eles imaginando porque não me cumprimentavam. Depois, parti da suposição de que naquela manhã deviam está preparando uma festinha surpresa ao final do expediente. Chegou a hora de embora e nada aconteceu, toda minha expectativa morreu junto com aquela tarde. Fui para casa, triste e chateado. Logo eu, que sempre me fiz inserir no grupo dos que fazem a “vaquinha” para comprar o presente dos colegas. Logo eu que sempre lembrava o aniversário de cada um, incentivando uma festinha para cada ocasião. Porém, na semana do meu aniversário, ninguém fez listinha, não teve festinha e então me perguntei se era tão mau amigo assim dos colegas. Mas tirei uma lição disso tudo, acabei por fazer uma reflexão sobre minha conduta profissional, pessoal e social. Independente de quaisquer desculpas dadas, me calei por uma semana, remoí sozinho tentando digerir o acontecido, no entanto, na semana seguinte coloquei a boca no trombone (quem não chora não mama), confessei aos colegas da minha decepção, então se reuniram e, numa tarde dessas quando eu já entrava no carro para ir embora, me chamaram na sala de reuniões, tinham preparado uma Big festa. Perguntei-me se aquilo era fora originado da reclamação, do fato de estarem esperando reunir todo mundo para que se fizessem presentes ou se resolveram juntar dois ou três aniversários para comemorar de uma só vez. Mas, independente disto, fui ao ponto de comentar em casa, que meu natalício fora uma data da qual apenas eu dava importância.
Depois dos bolos, salgadinhos e refrigerantes, prometi pra mim mesmo não alardear mais meu aniversário. Os amigos (os de coração) me ligarão ou aparecerão em casa. Aos poucos, na seleção natural das coisas, saberemos quem de fato são nosso amigo e quem são verdadeiramente “os amigos da onça”. Mas não fico triste não, ainda haverá muitos aniversários pela frente, assim espero, como espero também que ninguém se esqueça.

Nenhum comentário: