sábado, 3 de maio de 2008

PÁGINAS DA VIDA

Eu queria poder entender,
o sacrifício feito quando eu não sabia que sacrifícios eram precisos.
Como foram necessárias dores para que você derramasse lágrimas para eu poder sorrir e, que quando cheguei chorando, você me abraçou e chorou sorrindo. Suas lágrimas eram de alegria e as minhas, de não saber o que me aguardava.

Então você beijou minhas pequenas mãozinhas e por um minuto recostou-me no seu peito para num suspiro desfalecer por tanto esforço, entregando-me à minha madrinha, na incerteza de ver-me novamente em vida, mas Deus a fez viver, ver somente meses depois e novamente me tomar nos braços.
Você que quase abriu mão de sua vida em favor da minha.

Eu que não te deixei dormir tantas noites em que você me velou debruçada de cansada na cabeceira de minha rede. Sofrendo minhas dores muito mais do que meu pequeno corpo que se contorcia em febre.

Eu que hoje não te entendo, mas sei que a cada gesto meu você já sabia o que eu queria.
Você que se esqueceu de si mesma para me deixar confortável, abrindo mão de sua própria vaidade em troca de apenas alguns sorrisos.
Eu que sempre exigi muito de você e em troca, você era feliz com o tão pouco que eu te dava.

Você, minha fortaleza, que embalou minhas noites com canções que ficaram gravadas na minha alma.
Canções que me fizeram esquecer os meus temores de criança e, que hoje fazem tanta falta.

Hoje eu só quero um abraço, um retorno ao colo que tantas vezes me amparou e me fez seguir adiante.
Eu que cresci e não aprendi ainda a não depender de você.
Você, que sempre foi tão forte e hoje é tão frágil diante de mim, homem feito.

Sei ainda, que você procura até hoje me fazer ficar bem, que reza por mim, que queria poder estar mais tempo junto, mas o mundo é tão veloz, que já não deixa tanto tempo para nossas conversas. A casa ficou maior para ti e pequena para mim. Você que precisa tanto de mim, que me deu tanto de sua vida, me pede agora apenas alguns momentos de atenção.

Sinto falta da infância, de uma época em passávamos mais horas juntos.
Hoje a saudade me faz pensar, que no tempo passado fui muito feliz, e que, este mesmo tempo hoje, me faz perceber o quanto você sempre me amou e viveu sua vida em função da minha.
Obrigado, mãe!

Sei que em duas palavras não posso resumir o reconhecimento de tudo o que você fez por mim, mas certamente, elas revelam em minha própria vida o respeito, o amor, a admiração e a gratidão que sempre sentirei por ti.

Nenhum comentário: