quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

QUER FICAR COM PAPEL VELHO AMOR?

Hoje é dia de rasgar papel, revirar as gavetas, jogar fora a velharia (ainda bem que ninguém me notou).
Nada como novos ares (não aquele de papel velho, este dá até alergia).
Tudo que é novo é bom. Cheiro de carro novo, dinheiro novo, mulher nova (apesar da sogra velha), amizade nova (nesse caso, deve-se preservar as antigas), roupa nova, visual novo. Eita! Como é bom coisa nova.
Pena que os hábitos continuem velhos. A gente se apega a muita coisa, gosta de guardar quinquiralhias, coisa de gente velha (nada contra os velhos, já me sinto um).
Nem tudo é perfeito. Penso até num outro nome pra agência em que trabalho, seria um bom começo para algo novo. Que tal “Jaci”, “Ajic” ou ainda “Caji”, quem sabe “Cija” ou mesmo “Jica”. Escolhe aí.
Por enquanto, são caixas e caixas de memória que vão para o lixo, ou melhor para a reciclagem, afinal, em tempos de apelo ecológico, tudo deve ser aproveitado.
Meia tonelada de papel deve render alguma coisa para alguém. principalmente para que de fato precisa.
Espero escrever as próximas abobrinhas na sede nova.
Então, até lá.

Nenhum comentário: