quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

UM DIA PERFEITO PARA SER IN (útil)

Sem muito o que fazer nestes dias mornos de inverno em plena praia, passo os dias me questionando se a crise mundial é um enorme buraco existencial em cada um de nós, que ao final quando se juntam, tornam-se um mar gigantesco de pessoas sem esperança, ou se a falta de ousadia é a desculpa perfeita para não fazer nada e ficar sentado se lamentando?
Não sei ao certo, mas não sou muito fã do ostracismo, ele desconstrói o nosso senso comum e até o bom senso incomum, que não é comum na maioria das pessoas.
A verdade, é que nascemos para sermos mais do que fomos moldados para ser, então, às favas o mau-humor, a falta de criatividade e a preguiça.
Viva a futilidade, pois sem ela a vida também perderia a graça, então pego minhas horas do precioso tempo irrecuperável e vou fazer alguma coisa de certa forma útil, se não aos outros, pelo menos a mim.
Quem não gosta de ver TV, ir ao cinema, assobiar, escrever sem compromisso (que nem estou fazendo agora), cantarolar no chuveiro, tirar um dia para ficar dormindo até mais tarde, bater um papo com os amigos, tomar um chopp gelado, andar de bicicleta, sentar no banco da praça, dormir abraçadinho, comer fruta no pé?
Tudo isso para alguns pode ser perda de tempo, mas no fundo, é viver. Então, viva!

Nenhum comentário: