terça-feira, 19 de janeiro de 2010

MAIS UMA DIA NA AGÊNCIA


Ao chegar à agência, queria um dia perfeito e que não fosse só mais um dia na criação.
Que bons ventos inspirassem um bom layout, e que nem tudo seja só baixar uma foto da web e dar uma maquiada.
Que o texto não seja longo e prolixo e, que o título possa ser trabalhado sem traumas.
Que os palpiteiros de plantão não ultrapassem o limiar da razão e que o cliente não ligue aborrecido às sete da manhã querendo pronto o trabalho passado às oito da noite anterior.
Nem sempre madrugar vale à pena quando o cliente tem a visão pequena.
Nenhum roteiro será bom o suficiente se o objetivo é fazer o mesmo que a concorrência.
Nenhuma campanha será ótima se apenas me agradar, há que haver o equilíbrio, nem 8 e nem 80, melhor que seja 90.
Que nela haja coração, razão e emoção. A alma é o apelo e, que seja bom, para que depois você não arranque os cabelos para fazer outra.
Que sejam perdoados os redatores viciados em MSN, os designers gráficos alucinados no Twitter, os Layoutistas fanáticos por blogs e atendimentos loucos por facebooks. Mas a vida continua e, na web é assim, quem não participa é um analfadigital, já se foi o tempo em que se ficava no computador jogando paciência.
Diferente dos tempos em que se era discriminado por ser estagiário.
Aliás, destes todos, o mais expert em internet.
Podia ser um dia diferente nestas mesmas salas dos prazos pra ontem, dos mesmos Jobs mal elaborados, dos mesmos brienfings que não dizem nada com nada.
E, em meio a este caos da propaganda, adivinhe quem vem para nos salvar?
Ele entra em cena, o deus da agência, sua santidade, o Diretor de Criação.
Em seu séquito, para compor o brainstorm; o diretor de arte e o redator.
E aí está, eis a trindade santa da agência.
Que Deus nos ajude.

Um comentário:

IV disse...

Tá mais pro inferno astral do seu Lúcifer.