sábado, 8 de maio de 2010

BURRO!!! EU?

É talvez eu seja mesmo, mas não por incompetência, e sim por tentar não ver a vida pela ótica neurótica
daqueles que não a vivem, mas se deixam levar pelas circunstâncias (sob essa ótica, sou teimoso. Será se ser teimoso do bem é ser burro?).
Sou o mesmo, me alegro em ser como sou, afinal, numa família de 12 irmãos, há sempre aquele que não vê a vida como uma experiência amarga, em que para se sobrepor, se passa por cima dos sentimentos de amizade, respeito e consideração.
Não sou aparente, me orgulho em ser apenas autêntico. Daí, carrego nas costas uma grande carga, a de procurar não magoar as pessoas e fazer por elas (como diz a canção) sempre o meu melhor.
Às vezes (sometimes – acho linda essa expressão inglesa) quando deito à noite, vejo as crias dormindo, não me sinto um burro, mas o mais sábio dos homens, pois não deixo os contágios do mundo invadir os espaços do meu castelo, nele sou rei, e apesar de igual a um “vulcano” resguardar as mágoas do dia a dia só pra mim, ainda há lugar para sorrir e sonhar junto a elas.
Me fiz assim, há quem me goste, há quem me conteste, há que me melhore, mas o que jamais admitirei, é que haja quem me diminua.
Há quem diga ser a vida uma cruz, um fardo, uma luta, uma sina. Mas se acham que ela é uma “carga”, então só espero ter forças para carregá-la até o fim da jornada, mas, sem precisar de ninguém a me chamar de “burro”.
Porque como diz o velho Lua, o burro é paciente, manso e trabalhador, taí, um bom exemplo pra muita gente.

Um comentário:

AMC Publicidade disse...

Burro com certeza você não é, meu amigo. Um pouco teimoso, um pouco inconsequente com os comentários, mas inteligente, espirituoso, criativo, excelente comentarista de cinema, cada vez melhor redator e uma pessoa que faz parte da minha vida. Me desculpe pelos desencontros, pelas falhas, ou se o chamei alguma vez dessa alcunha.

Burrice, já dizia meu Pai, que tanto me vem a memória o tempo todo agora, é permanecer no erro. Você já se reinventou diversas vezes, no que quis fazer. O que você ainda não mudou em você, é porque você não quiz mudar, ou simplesmente porque não valeria a pena, pois você sinta que deixaria de ser o que é, sem sê-lo.

Um grande abraço e espero que esteja tudo bem com você.

Volte a escrever no seu blog. Isso é uma excelente prática e você é uma pessoa que tem o que dizer. Você concluiu seu segundo grau trabalhando, fez sua faculdade em Letras e depois sua expecialização em Marketing, porque tinha, tem e sempre terá o que dizer.

Só gostaria que você fosse menos teimoso em um aspecto . . . parasse de insistir em falar naquela parte da anatomia humana, em que todas as nossas conversas tem terminado.

Porque, nesses dias, com tudo o que tenho passado com Papai, elas estão um pouco difíceis de ficarem engraçadas.

Um grande abraço,

Alexandre