quarta-feira, 23 de março de 2011

FILME DA SEMANA


Olá amigos do cinema! A sétima arte está mais triste pela perda da atriz Elizabeth Taylor (79), na cidade de Los Angeles. Protagonista de grandes filmes como: Quo Vadis (1951) Ivanhoé (1952), Assim caminha a humanidade (1956), Gata em teto de zinco quente (1958) ,Cleópatra (1963) e Quem tem medo de Virgínia Woolf (1966) entre outros, ela vai deixar muitas saudades. Por falar em Los Angeles, O filme que indico para hoje é “Invasão Alienígena – A batalha de Los Angeles”. Este filme divide a crítica, pois se para uns é uma obra prima, para outros é uma bomba. E particularmente, bombas e explosões são tudo que tem no filme. Os americanos sempre fazem questão de se colocar em lugar de povos que tem o seu país invadido por forças poderosas. Mas aqui na terra, que exército invadiria os EUA? Somente alguém mais bem armado que eles, ou seja, uma raça alienígena com alta tecnologia. Mas ainda assim, eles dão um jeitinho de derrotá-los. Típico não? Para quem já assistiu “Independency Day, Distrito 9 e Falcão Negro em Perigo” tem-se a impressão nítida que “A batalha de Los Angeles” é uma mistura de tudo isso. Guardando as proporções, o filme não prima muito pelos efeitos especiais ou uma história consistente. Há uma exaustiva necessidade de apresentar os protagonistas como se isso resultado em um conhecimento de quem é quem durante o filme, o que não acontece, pois no desenrolar da história, fora (Aaron Eckhart) e (Michele Rodriguez) os outros se perdem nas fracas atuações proporcionadas por um roteiro pobre. Com o resto do mundo e grandes cidades destruídas por uma forte chuva de meteoros, os humanos descobrem estarem sendo invadidos por uma raça superior. O que faz da cidade de Los Angeles, o último reduto de resistência humana. A partir daí, um batalhão de fuzileiro liderados pelo sargento da marinha, fará de tudo para garantir sua sobrevivência e da humanidade. Visto por uma ótica militar, o expectador é inserido na batalha através de cenas nervosas que acontecem na paisagem urbana de pontes destruídas, escombros de prédios e ruas. Com um custo de 100 milhões de dólares o filme lidera as bilheterias americanas e brasileiras em sua semana de estréia. O roteiro é de Chris Bertolini e direção de Jonathan Liebesman (O massacre da serra elétrica: O início).

3 comentários:

Larissa Gabriela Guimarães. disse...

aah, eu adoro filmes, já cheguei a ver 9 num só final de semana! parabéns pelo blog (:

Fabricio disse...

Parabéns, esta muito bacana seu blog
vo passar para todos os meus amigos,
Me segue la no meu blog tb.

http://futebolnacabesa.blogspot.com

valeu,

QuarterST disse...

Oi :) Tudo bem?
Faz um favor? Vota na @quarterock no Multishow? Tá explicado direitinho aqui http://migre.me/4sgz4 *-* bjs :*
Mari
@QuarterST