quinta-feira, 22 de março de 2012

ADÃO E EVA


Descobrir teu corpo é tão fascinante como adentrar no Éden e sentir novamente aromas e sensações agora tãos presentes da minha distante juventude
É muito mais que congelar o tempo num momento mágico
Quem sabe para guardar eternamente a lembrança
Do Prazer inaudível que tua alma sente e que se transforma em espamos a percorrer teu corpo
Você ri, seus olhos brilham, não há medo, se há, ele é sufocado pela boca ávida
que busca saciar a incontrolável a sede de paixão
Enquanto a tarde cai, vejo gotas de chuva no vidro da janela
Para todos os sentidos sempre há desejos a serem revelados
O teu é que a tarde não acabe
O meu é que tudo seja eterno, pelo menos, até o próximo encontro
Enquanto te vejo tão natural, procuro em mim desvendar o que tanto te fascina
Sei ao menos o que tu mesma revelastes, não há nada mais visível na cumplicidade
que apenas a clareza da alma.

Nenhum comentário: