quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

INESQUECÍVEL


Das coisas boas que aprendi ano passado é que as pessoas por mais que julguemos conhecê-las profundamente, sempre acabam por nos surpreender, e por incrível que pareça, de maneira boa. As vezes busco em mim mesmo significado para coisas que não compreendo, como se isso fosse aliviar meu coração ou calar a voz de minha consciência, fazendo com que eu viva num conformismo rotineiro. 
Alimento-me nas lembranças de tudo que foi vivido e do que está ainda por acontecer, descobri que não é necessário cruzar meio mundo em busca de respostas, elas, de alguma maneira, vem até você. 
Num belo dia, você acorda e toma consciência de que tudo poderia ser bem mais diferente, bem mais simples e sem muitas complicações. Você se auto-conscientiza de que sua vida lhe pertence, e não a outros como até então tinha certeza. É bom saber que de alguma forma, você tem uma ligação emocional, uma ligação mental e uma sintonia de pensamento incrível com quem de fato você nunca esqueceu.
Deixei de crer em muitas coisas e aprendi a ser um pouco mais cético com relação a tudo, aos sentimentos, ao social, ao familiar, ao profissional e sobretudo à inquietude que existe viva e palpitante em cada um de nós.
É como se a vida que levassémos tivesse muito mais a oferecer do que ambicionamos com nossa visão tão pequena.
Se só por um  momento pudesse reunir, num único momento, as coisas necessárias para ser feliz, uma verdade inevitável viria a tona, você estaria nela.
Porque você continua a ser importante, porque você me mostrou coisas novas, porque você se tornou inesquecível em mim.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

ENCONTROS E REENCONTROS

O ano começou muito bem, um encontro com os irmãos, as garotas de nossas vidas trocando figurinhas e estreitando os laços de amizade, o pai junto, os filhos e um clima muito familiar.
Bom você ter pessoas com as quais se pode compartilhar momentos de extrema simpatia, alegria e sobretudo respeito.
Seria bom conviver mais tempo em momentos assim, mas os destino no faz trilhar por caminhos diferentes, entendemos, apenas não aceitamos. Mas, a distância e o tempo fazem bem, faz com que demos a importância devida a todos os nosso encontros.
Me sinto uma pessoa duplamento privilegiada, pois ter duas famílias, não é muito comum.
Passamos anos sem nos ver, mas  a cada encontro, parece que foi ontem a última vez que conversamos.
Bom se sentir assim, saber que voce é lembrado e representa muito na vida de várias pessoas.
Só posso dizer obrigado, por tudo que vocês representam para mim.
Hoje, confesso, não estou encontrando as palavras certas, logo eu que sou extremamente falante.
Vão ter que se contentar com isso. Fica a satisfação de tentar começar o ano externando um pouco do meu sentimeno e felicidade.