domingo, 14 de julho de 2013

NO QUE O TEMPO NOS TORNA

A cada dia que passa, deixamos nossos prazeres mais simples caírem no esquecimento. Mesmo em teoria, escrever deveria ser a coisa a qual eu mais gosto de fazer, mas tenho relaxado até nisso, o que me deixa profundamente triste. Livros meio lidos, histórias quebradas, projetos pela metade. Seria isso motivo bastante para se dizer que na vida esquecemos muitas coisas para priorizar outras, talvez?
Desde maio não passava no meu velho e fiel blog, não espere que o mundo leia, que seja coqueluche na internet, ele é apenas meu diário pessoal de pensamentos perdidos de minha passagem por aqui.
Não sei se são os conceitos que mudaram, ou talvez o tempo muda a gente, mesmo que não queiramos. Em que acreditar? Os sonhos mudam, a vida muda e sem perceber, estamos mudados.
Em alguns momentos, temos lapsos do que ainda queríamos ser, mas  a realidade e os seus revesses mostram em quem realmente nos tornamos.
Hoje não sou o que desejei ser, mas me tornei na medida do possível o melhor que pude me tornar.

Nenhum comentário: