sábado, 31 de agosto de 2013

O ESPINHO DA ROSA

Eu sempre busquei ser educado, cortês, divertido. Sempre ofereci poesias, busquei proporcionar momentos marcantes que a deixasse feliz. Eu estava feliz aquela noite e queria dividir isso com alguém pela qual valeria a pena viver essa alegria.
Mas percebi, de forma grosseira, que as pessoas de quem menos esperamos podem nos tratar com desdém, desprezo e indiferença. Eu confesso que fiquei chocado, talvez a expressão certa fosse - sem chão. Não, não sou inimigo de ninguém, acredito que em toda e qualquer forma de relacionamento o respeito, o carinho e sobretudo a educação deve ser prezada.
Eu lhe ofereci rosa, mas passo a crer que ela se transformou apenas em espinhos, os mesmos espinho que furaram meu peito, naquele "Não" que soou tão raivoso, tão amargo. Eu ofereci rosa e recebi em troca espinhos.
Mas, não fiquei zangado, com raiva ou qualquer outro sentimento que fosse igual ao que recebi naquele tão sonoro "Não", fiquei triste, decepcionado por saber que o verbo amar pode ser cruel quando não há reciprocidade. Esperaria tudo de toda e qualquer pessoa, mas dela jamais.
No outro dia recebi uma telefonema, talvez ela quisesse se explicar, talvez quisesse ter minhas impressões a respeito de seu ato.
Peço perdão se algum dia vislumbrei um outro futuro, peço perdão por ter tentado ousar sonhar. Mas a verdade se expôs nua e crua, vi outra realidade, passei o resto daquela noite refletindo que - não amar é melhor do que amar, pois o amor tem muitas nuances. Uma hora há sorrisos, abraços e carinhos e noutra hora você é esmagado como fosse nada. Quando você ama alguém e acredita que possa existir um carinho é melhor não arriscar a entregar-se assim tão profundamente numa relação, é melhor estar preparado, você pode receber apenas um seco e triste "Não".

Para que questionar o carinho, o bem-querer, talvez pudesse nem existir nada disso. Talvez a única coisa que devesse existir fosse a consideração por tudo que foi vivido e o que de fato as pessoas representaram em nossas vidas. Engraçado os sentimentos, quando estou com saudade ligo, procuro ver, procuro falar, só isso, já me traz muito conforto para alimentar a luta na busca de tentar ser feliz. Mas há pessoas, que buscam se afastar, como se o tempo e a distância fossem substituir o que você quer e não tem coragem de lutar pra ter. Posso ser bobo, romântico, passado, mas nunca fui covarde em relação aos meus sentimentos. Não sei por quanto tempo ainda vou amá-la, mas isso agora, corre lado a lado com uma grande amargura e a certeza de que seu telefonema e seus beijos, e porque não dizer, seu amor nunca virão.

Nenhum comentário: