quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

AINDA TE AMO

(Still Loving You) - Scorpions
Continuo amando você

Tempo, é preciso de tempo
Para reconquistar seu amor novamente
Eu estarei lá, estarei lá
Amor, apenas amor
Pode algum dia trazer de volta seu amor
Eu estarei lá, estarei lá


Lutar, querida, eu lutarei 
Para reconquistar seu amor novamente
Eu estarei lá,
O amor, apenas o amor
Pode quebrar a parede algum dia
Eu estarei lá, estarei lá

Se nós percorremos novamente
Todo o caminho, desde o início
Eu poderia tentar mudar
As coisas que mataram o nosso amor
Seu orgulho construiu uma parede, tão forte
Que não consigo atravessar
Não existe realmente nenhuma chance
Para recomeçarmos novamente?
Estou amando você

Tentar, querida, tentar
Acreditar no meu amor novamente
Eu estarei lá,
Amor, nosso amor
Não deveria ser simplesmente jogado fora
Eu estarei lá,

Se nós percorremos novamente
Todo o caminho, desde o início
Eu poderia tentar mudar
As coisas que mataram o nosso amor
É, eu feri o seu orgulho, e eu sei
Pelo que você já passou
Você tem que me dar uma chance
Isto não pode ser o fim
Eu continuo amando você, eu preciso do seu amor

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

ESTOU MAL

Eu pensei que fosse fácil te esquecer
Eu pensei que nunca mais ía lhe ver
Infelizmente eu descobri não é assim
E então eu descobri amo você

E agora o que é que eu faço sem você
Minha vida não é nada sem você

Estou mal
Vem me ajudar
Preciso de você
Estou cansado de sofrer
Estou com medo de não aguentar
Estou perdendo a razão de viver

Estou pedindo pra você voltar pra mim
Não dá mais pra continuar vivendo assim
Eu preciso de você, do seu amor
Eu te amo e te quero só pra mim

Você tem que entender que eu errei
Sem você eu não sou nada não pensei

Estou mal
Vem me ajudar
Preciso de você
Estou cansado de sofrer
Estou com medo de não aguentar
Estou perdendo a razão de viver

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

ASSIM...

Não deixe o tempo acabar com nosso amor 
Eu faço tudo e o impossível e você não dá valor 
Te amo como um louco 
Estou morrendo aos poucos 
Você parece estar feliz 
Pisando sobre mim 
Desesperadamente 
Eu choro por você 
Meu coração carece do seu amor 
Então vem 
Maltrata de vez 
Estou com saudade 
E a sua maldade me faz delirar 
Te perder 
Eu não vou resistir 
Eu vivo sofrendo
Estou te querendo 
Nasci pra você  

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

DO FUNDO DO MEU CORAÇÃO

Eu, cada vez que vi você chegar,
Me fazer sorrir e me deixar
Decidido, eu disse nunca mais
Mas, novamente estúpido provei
Desse doce amargo quando eu sei
Cada volta sua o que me faz
Vi todo o meu orgulho em sua mão
Deslizar, se espatifar no chão
Vi o meu amor tratado assim
Mas, basta agora o que você me fez
Acabe com essa droga de uma vez
Não volte nunca mais pra mim
Mais uma vez aqui
Olhando as cicatrizes desse amor
Eu vou ficar aqui
E sei que vou chorar a mesma dor
Agora eu tenho que saber
O que é viver sem você
Eu, toda vez que vi você voltar,
Eu pensei que fosse pra ficar
E mais uma vez falei que 'sim'
Mas, já depois de tanta solidão
Do fundo do meu coração
Não volte nunca mais pra mim
Se você me perguntar se ainda é seu
Todo o meu amor, eu sei que eu
Certamente vou dizer que 'sim'
Mas, já depois de tanta solidão
Do fundo do meu coração
Não volte nunca mais pra mim

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

MORRER POR DENTRO


Descobri que as crianças sempre são vítimas de nossas atitudes, as vezes a realidade é dura demais para elas. Isso vai criando sequelas que cabe serem percebidas antes que não haja mais como retroceder. Alguns hábitos extremamente infantis podem ser prenúncio de grande problemas para uma pessoa no futuro, inclusive causando danos permanentes. Não sei o que acontece com os filhos, o meu, precisa de terapia para não desenvolver o que pode ser uma espécie de tic nervoso. É preciso paciência e dedicação, se tornar mais que pai, se tornar amigo.
Tenho que adiar certas decisões pessoais para não confundi-lo ainda mais. Não posso colocar outras coisas na cabeça dele, afinal são só nove anos e ainda não há compreensão para muitas coisas de adulto. Há tempo para tudo, mas por agora, ele é o que importa. Perguntei a terapeuta dele, se isso decorria de alguma coisa genética. Ela foi enfática, convivência, stress pode ser qualquer coisa, até mesmo uma resultante da situação na qual ele esteja inserido e busque da maneira dele mascarar a realidade criando uma outra realidade alternativa e fora da situação em que se encontra. Afora meus dramas e problemas pessoais e emocionais, ele, mais que meus problemas, precisa de atenção.
Filhos, só quem os tem sabe que por eles a gente passa por cima de tudo, até pelo desejo de tentar ser feliz. Ele é muito inteligente e criativo, carinhoso e apegado demais a mim. Seria egoísmo submetê-lo a aceitar decisões nas quais ele seria apenas um mero expectador.
Três coisas me intrigam, saber o que se passa com meu filho, descobrir o que minha filha pensa e o porque isso resultou numa alergia emotiva que a deixa com cada vez menos vontade de sair de casa, e por último, assimilar a ideia de que a mãe deles encarou tudo o que acontece conosco com muita altivez e naturalidade. A única coisa que foge a isso, é o que dilacera minha alma, queima meu peito e me enfraquece o espírito: Compreender porque fui descartado com um simples, “ boa sorte, adeus, pensei muito e não é isso que eu quero, não tô preparada, desculpa e até nunca mais”.

Na vida nunca estamos preparados para nada, eu mesmo não sei se vou assimilar este golpe. Pensei que podia ter ao meu lado um amor de verdade, mas as pessoas não são o que parecem ser, de repente se apresentam como são, pisam em seus sentimentos como se eles não fossem nada. Me senti morrer por dentro numa agonia mais letal do que um envenenamento. No momento, me invade uma amargura, apesar de não poder, queria dormir, se não conseguir, tomarei algumas pílulas, elas me fazem dormir profundo, pra que despertar e fundir a cabeça pensando coisas. Preciso dormir, quero esquecer de tudo, sair do mundo, me enterrar bem fundo num rio de lembranças boas que morreram junto com aquele “adeus”, digitado em um celular em meio a uma correria qualquer de uma pessoa que desprezou todas a coisas boas que vivemos, tudo o que tínhamos por viver e talvez até, o maior amor da sua vida. Foi cruel.  Talvez existam coisas aí que ainda não sei, só sei que quero dormir, fechar os olhos e se acordar, imaginar que tudo que acontece agora, seja apenas um pesadelo passageiro.

Crônicas da novela da minha vida

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

SEM LENÇO BRANCO NA PARTIDA

Conversas francas são coisas difíceis, principalmente, com as pessoas mais próximas a você. Tive uma conversa deste tipo este fim de semana. Uma dessas conversas de casais onde a relação precisa ser revista e discutida. Isso acontece quando chega um momento em que as coisas como estão não dão para continuar. Sabe quando se sente que se está sufocado, que o limite está no máximo e você passa a sentir uma pressão tão grande que não há como adiar. A primeira sensação que dá é de procurar um buraco e sumir, se esconder de tudo até a tempestade passar, contudo, o silêncio prolongado só mostra a agonia da tempestade que se aproxima.
A princípio, achei que o tom da conversa seria amargo, que verdades seriam jogadas na cara, mas me surpreendi, pois pensei que seria mais difícil, até que não foi. Depois de tempos de convivência a pessoa te conhece tão bem, que é capar de saber o que te aflige.
Abri meu coração, falei de minha infelicidade por me sentir preso a uma promessa, que agora não faz muito sentido. Falei de outros caminhos, uma busca, uma tentativa de reinício de vida, até se isso envolvesse outra pessoa.
Em troca, depois de analisar a situação, os filhos, os desdobramentos a reação por parte da família, dos amigos, a resposta que tive foi simples assim: vá em busca da sua felicidade, para mim, pena é triste. E, se encontrar alguém que possa te fazer feliz, se agarre a essa chance, pode ser sua última.
As vezes, temos medo de sair de nossa zona de conforto, temos medo do futuro, do que está por vir. Mas ao que parece, tudo vai ser na calma e civilidade. Outro canto, novos hábitos, um pouco mais de solidão, mas em compensação, uma liberdade para poder ser mais eu mesmo.
Contudo, me foi feito um pedido simples, - não se torne ausente, filhos precisam de pais presentes -  agora sei que minhas responsabilidades serão maiores, pois terei que me fazer mais próximo e me desdobrar muito mais para que isso não pareça uma perda.
Sei que levarei um tempo para me adaptar e para fazer a transição para esta nova realidade, mas tudo na nossa vida leva tempo.

Me fiz muitas perguntas, e infelizmente tenho chegado a uma conclusão de que ficarei muito tempo só, pois quem elegi para estar comigo, não está. Isso me deixa triste, mas no amor é assim mesmo, ou quem gosta de você enfrenta tudo e está contigo ou simplesmente te deixa só. E, na medida em que o tempo passa, me sinto cada vez mais só.

Crônica da novela real de minha vida